Amor

Amor de mãe

Eu acredito em Jesus Cristo, o filho do Deus vivo, nascido da promessa de uma virgem chamada Maria.
Eu acredito no amor que Maria deu ao seu filho, que levou ela a seguir ele no ministério e ficar com ela diante da cruz quando ele morreu.

Eu acredito no amor de todas as mães, e sua importância para as vidas de seus filhos.
É mais forte que ferro, mais suave que veludo, e mais resistente do que uma palmeira no vento.

Este amor sara feridas, derrete revolta, e permita a criança mais fraca a ficar firme e forte nos campos da adversidade.
Eu acredito que este amor, no seu melhor momento, é apenas uma sombra do amor de Deus, um reflexo escuro de tudo que podemos esperar dEle, tanto nesta vida como na próxima.

E, eu acredito que uma das mais belas coisas deste mundo é uma mãe que permita este amor maior passar por ela para seu filho, abençoando o mundo com a ternura de seu toque e as lágrimas da sua felicidade.

Larson, Craig Brian, editor "Illustrations for Preaching and Teaching from Leadership Journal," Grand Rapids: Baker Book House, 1993, p. 160.

O Cimento do Amor
Quando o salão do prédio onde a igreja se reúne foi construído foram usados centenas de tijolos. Um em cima do outro. Sem estes tijolos não teríamos este salão. Podemos até dizer que o tijolo é a matéria prima da construção numa edificação como esta. Mas, para levantar estas parede, só é preciso de tijolos? Pode imaginar dezenas de tijolos um em cima do outro.

O que mais é preciso? Cimento. Pode imaginar estas paredes aqui, um tijolo em cima do outro, centenas de tijolos ao seu redor, mas sem cimento? Ou com cimento de má qualidade?

Nós somos os tijolos que Jesus usa para construir sua igreja. A palavra até nos chama de "pedras". 1 Pedro 2:5 diz "também vós mesmos, como pedras que vivem, sois edificados casa espiritual… " Cada um de nós somos a matéria prima da edificação da Igreja de Jesus. Mas, há um material fundamental que nos mantém juntos - o amor. Este amor é o que? É a paciência, a consideração, a confiança um no outro. Sem o cimento do amor, todas estas pedras um dia caem. Basta o inimigo bater um pouco na parede que ela cede. Ele bate um pouco mais e ela cai para o chão.

Na verdade, o cimento que liga dois tijolos aqui em baixo na parede, é tão importante quanto o cimento e os tijolos ligados ali em cima. De fato, todos os tijolos desta parede estão de certa forma em contato com todos os outros. Todos dependem, uns dos outros - como nós dependemos uns dos outros.

Quando nós começamos a brigar, a discutir, a medir ou até retirar nosso amor uns dos outros, o que é que acontece? A parede começa a ceder. Alguns tijolos começam a cair. Basta uma rachadura aqui, e outro ali, e outro ali, e em pouco tempo, a casa toda cai. Por outro lado, basta que o cimento que segura os tijolos seja bem feito, bem forte, e todos ficam juntos. Podem resistir qualquer investida do inimigo.

Você não tem que segurar todos os irmãos na igreja. Você não tem que visitar todos.
Mas, você tem que amar pessoalmente aqueles que Deus colocou próximo de você.
Tem que tratar todos com a mesma consideração. Tem que amar igualmente todos.
Mas, haverão alguns, bem próximos de você que você terá que ter um amor muito forte para eles.

Elas podem ser próximos porque são da sua casa, ou do seu pequeno grupo, ou da sua área de serviço na igreja. Ou, pode ser que é com eles que você se acha em constante atrito. Seja qual for o motivo, são os tijolos que Jesus, o grande construtor desta casa, colocou próximo de você. Ame eles, com o mesmo amor que você ama a Jesus. E, a igreja dEle ficará bem forte para sempre. Quando falamos uns com os outros, vamos falar como quem está falando com o próprio Senhor Jesus.

– Dennis Downing www.hermeneutica.com.br


Amando O “Inimigo”

Certa vez um homem foi visitar o pastor dizendo que queriam se divorciar da sua mulher.

O pastor disse, "Mas a Bíblia diz que você deve amar sua esposa como Cristo amou a igreja."(Efé 5:25).

O homem respondeu, "Mas, eu não consigo. E, de qualquer forma, eu não sou perfeito como Cristo."

O pastor disse, "Então, se não conseguir assim, lembre que Jesus nos mandou amar o nosso próximo. Você não pode continuar a amar ela como seu próximo?" (Mar 12:33)

O homem disse "Mas, ela me traiu, ela não me trata como próximo dela. Não consigo amar ela como meu próximo."

"Então," disse o pastor, "Só tenho mais uma palavra do Senhor. 'Amai os vossos inimigos'." (Mat 5:44; Luc 6:27)

-- Erwin Lutzer, "Learning to Love," (Aprendendo a Amar) Preaching Today (Pregação Para Hoje), Tape No. 99.


Doce Reunião! 

Você alguma vez testemunhou uma cena como esta? 

Pais jovens desesperados ansiosamente procuram numa grande loja de departamentos sua  criança de dois anos. Quem sabe como ou onde, a criancinha deles se perdeu enquanto eles olhavam móveis. O segurança da loja está tomando informações dos pais apavorados... estranhos se unem os esforços de busca... a jovem mãe está à beira de histeria. 

Quando ninguém espera, uma mulher com aparência de avó apareça com a criança nos braços dela. Ela salvou o dia! Mas mesmo quando o pequeno menino vê a mãe dele, ele continua chorando incontrolavelmente. O medo que ele sentiu que ele perdeu a mamãe e o papai dele o consumiu. Entre suspiros e soluços, ele literalmente luta para respirar. Seu coração sai para a criança e os pais. 

Um evento como este aconteceu comigo e minha esposa quando nossa filha mais nova, Kendra, tinha cerca de quatro anos. Nós a perdemos em um estádio de futebol! Levou vários minutos de procura frenética antes que nós a localizamos. A reunião foi tão doce! 

Você alguma vez se viu como uma criança perdida, lutando desesperadamente para respirar ... almejando os braços de seu Pai amando? 

Isso é um retrato incrível de nossa dependência em Deus que nós nunca devemos superar. 

Corra aos braços dele... e respire fundo!

Como a corça anseia por águas correntes, a minha alma anseia por ti, ó Deus. A minha alma tem sede de Deus, do Deus vivo. Quando poderei entrar para apresentar-me a Deus?

- Salmo 42:1-3 NVI

- de ‘O Ponto Central’ ('The Central Point') Copyright 2002-2004 © Dennis Wheeler. http://www.studylight.org/col/cp/