A Batalha Pela Ressurreição - uma entrevista com Dr. Norman Geisler

A seguinte entrevista com Dr. Norman Geisler revela um aspecto de importância crucial para a ressurreição e o entendimento Cristão deste assunto. Hoje em dia, cada vez mais, começa a ser diluído o ensinamento bíblico da ressurreição e consequentemente do papel de Jesus no maior evento histórico da humanidade. Foi o próprio apóstolo Paulo que frizou a importância da ressurreição como fato histórico: “se Cristo não ressuscitou, é vã a nossa pregação, e vã, a vossa fé;” 1 Coríntios 15:14.

Geisler, um dos maiores e mais respeitados apologistas da atualidade, ressaltou como um entendimento correto da ressurreição é crucial para a fé Cristã: “Se a ressurreição realmente não aconteceu, os apóstolos são testemunhas falsas, nossa fé é fútil, estamos perdidos em nossos pecados, e somos o povo mais miserável da face da terra – para nem entrar no fato que, se for assim, não há esperança além do túmulo. Claramente, esta é uma questão de importância transcendente. Você pode negar a inerrância da Bíblia e ser salvo. Se você negar a ressurreição corporal, entretanto, não há base para sua salvação (Rom 10:9).”

Segue uma entrevista com Geisler no boletim do Christian Research Institute.

Boletim: Quais os elementos chaves no ponto de vista tradicional da ressurreição de Cristo?

Dr. Geisler: Dois dos elementos chaves são igualdade de natureza e de estado físico. O corpo ressurrecto de Cristo foi o mesmo corpo no qual Ele morreu. Foi por isso que ele pôde dizer a Tomé, “Coloque o seu dedo aqui; veja as minhas mãos. Estenda a mão e coloque-a no meu lado” (João 20:27). Tinha que ser um corpo físico porque o corpo físico morreu, e se aquele corpo físico não voltou à vida, não houve vitória sobre a morte e o pecado. Portanto, os dois elementos chaves do ponto de vista tradicional da Ressurreição são igualdade de natureza e de estado físico...

Boletim: No que diz respeito a essa questão de “igualdade de natureza”, deixe-me assumir o papel de “advogado do diabo”. Por que isso é tão importante?

Dr. Geisler: Porque a vitória tem que ser no ponto da derrota. Se o ponto da derrota é a morte física, então a vitória tem que ser a ressurreição do corpo físico. A alma não morreu. A alma continuou viva. Foi o corpo que morreu, e se o corpo que morreu não voltou à vida, então não houve vitória sobre a morte e o pecado. Em Atos 2:31 lemos “cujo corpo não sofreu decomposição”. O corpo de Cristo não sofreu decomposição no túmulo porque Ele foi ressuscitado incorruptível.

Boletim: Que evidências nas Escrituras há para a “igualdade de natureza e de estado físico” do corpo ressurrecto de Cristo?

Dr. Geisler: Cristo disse que seu corpo ressurrecto tinha “carne e osso” (Lucas 24:39). Ele tinha as mesmas marcas físicas (João 20:25). Ele foi tocado em duas ocasiões (Mat 28:9; João 20:17), e desafiou os discípulos (Lucas 24:39) e Tomé (João 20:27) a tocarem nos ferimentos em seu corpo. Ele também comeu comida material quatro vezes após a ressurreição (Lucas 24:30, 42-43; João 21:12-13; Atos 1:4).

Boletim: Tudo isso tem a ver com o túmulo vazio. Você pode explicar mais sobre isso?

Dr. Geisler: O ponto de vista tradicional diz que Deus ressuscitou o corpo de Cristo dentre os mortos. O ponto de vista liberal diz que alguém pegou o corpo. O ponto de vista neo-tradicional diz que Deus destruiu o corpo – que é o mesmo ponto de vista dos Testemunhas de Jeová. Eles dizem que o corpo de Cristo virou vapor, ou gás, e dissipou pelas frestas do túmulo Isso não é uma ressurreição, é uma aniquilação. A pergunta chave se torna: Se você estivesse no túmulo cedo de manhã na primeira Páscoa, o que é que você teria visto?

O ponto de vista tradicional diz que você teria visto aquele corpo voltar à vida e sair andando. O ponto de vista liberal diz que você teria visto alguém entrar e tirar o corpo. O novo ponto de vista (o neo-tradicional) – que agora é abraçado por cerca de onze porcento dos chamados peritos evangélicos – diz que você teria visto aquele corpo sumir diante dos seus olhos. Bem, isso é um feito de magia – “agora você me vê, agora você não me vê”. Isso não é uma ressurreição.

Copyright 1994 Christian Research Institute, P.O. Box 500-TC, San Juan Capistrano, CA 92693. (Tradução de Dennis Downing para o site www.hermeneutica.com, copyright 2011, todos os direitos reservados.)


Veja também estes artigos de Dr. Geisler
Mateus 11.14 — Jesus disse que João Batista era Elias reencarnado?
João 1:1 — Jesus é Deus ou apenas um deus? e a série "Erros de Interpretação" na seção de Princípios

20/04/11