O Poder da Ressureição 

 

de Dennis Downing

 

 

** Filipe e o Ovo da Páscoa

Uma professora ensinava uma aula de alunos do terceiro grau. Nesta aula havia uns 10 alunos, todos na faixa de oito anos.

Um dos seus alunos era um menino chamado Filipe. Filipe tinha síndrome de Down. Apesar de aparecer feliz, Filipe mostrava cada vez mais sua sensibilidade.

Ele se sentia diferente dos outros alunos.

Se vocês conhecem algumas crianças de 8-10 anos vocês devem saber que as vezes elas podem ser um pouco insensíveis.

É justamente nesta idade também que a criança está querendo cada vez mais ser aceita pelos seus amigos.

Infelizmente, Filipe, apesar dos esforços da professora, não foi aceito pelos outros meninos. Mesmo assim, a professora fez tudo possível para que Filipe se sentisse uma parte da turma.

Filipe não escolheu ser diferente. Ele não queria ser diferente dos outros alunos mas ele era. E todos sentiram isso.

Esta professora foi bastante criativa. Um ano, durante a páscoa ela levou para a sua aula dez ovos plásticos vazios. Cada aluno iria receber um ovo.

O objetivo era que cada aluno saísse para o jardim e procurasse  um símbolo de vida renovada, de vida nova, um símbolo da Páscoa. Depois, eles iriam misturar todos os ovos e abri-los para ver o que tinha dentro.

      Todos os alunos saíram correndo para achar algo para colocar dentro do seu ovo. Em pouco tempo, todos voltaram e depositaram seus ovos numa mesa.

            Daí a professora começou a abrir os ovos.

            Ela abriu um e dentro tinha uma flor. Todas as criança ficaram admiradas.

            Ela abriu outro e tinha dentro uma borboleta. As meninas disseram “Ai que lindo! Que bonito!” Os meninos não disseram muita coisa , por que meninos são assim, não é?

            A professora abriu um terceiro ovo, mas não tinha nada dentro.

            Imediatamente todos começaram a rir e gritar “Isso não é justo. Que coisa estúpida. Alguém errou!”

            Foi quando a professora sentiu alguém puxando sua blusa. Ela olhou e viu que Filipe estava ao seu lado.

            “É meu” disse Filipe. “É meu.” As crianças começaram a rir e dizer “Ah Filipe, você nunca faz nada certo! Você tá sempre por fora!”

            “Eu fiz certo, eu fiz” disse Filipe. “É o túmulo. O túmulo está vazio!”

            Toda a aula ficou em silencio. Ninguém disse nada. E você pode acreditar, ninguém nunca mais disse a Filipe que ele era estúpido ou que fazia sempre as coisas errada. De repente Filipe foi aceito pela turma.

            Naquele mesmo ano Filipe faleceu. Sua família sabia por muito tempo que ele não iria viver uma vida longa.

Muitas coisas estavam erradas com seu pequeno corpo. No final de Julho, com uma infecção que qualquer um dos seus amigos teria sobrevivido, Filipe faleceu.

Seu velório foi realizado na igreja que os pais dele freqüentavam.

            No dia do seu velório, nove crianças de oito anos de idade foram para a frente da igreja e colocaram em cima do seu caixão um ovo de plástico - vazio.

            Como o menino Filipe, nosso Senhor Jesus Cristo foi visto e tratado por todos que o conheceram como alguém diferente.

            Ele também não foi compreendido. Não foi entendido.

            Ele foi rejeitado. Foi perseguido.

 

E, sabe quem foi que fez?

            Foi a nossa turma.

            Foi nós, os homens. Nós, que ele criou. Nós por quem Jesus deu vida.

            Foi justamente nós que rejeitamos Jesus.

 

Mesmo que Jesus não tivesse sido rejeitado, ele ainda teria que morrer na cruz.

Sabe por que?

Porque era a única maneira de perdoar meus pecados, os pecados seus, de seus amigos, de seus pais, dos seus vizinhos, dos seus filhos, em fim, de todos os homens.

 

            Já pensou como foi difícil para Jesus?

            Você já foi para uma outra cidade onde não conhecia ninguém?

            Já andou na rua e sentiu as pessoas olhando para você?

“Quem é esse estranho?”

“O que é que ele está fazendo aqui?”

 

Por que? Medo de pessoas que não conhecia.

Jesus enfrentou tudo isso e muito mais.

 

Por que? Pelo grande amor dele por nós.

 

Hebreus 2:14-15

14 Portanto, visto que os filhos são pessoas de carne e sangue, ele também participou dessa condição humana, para que, por sua morte, derrotasse aquele que tem o poder da morte, isto é, o diabo,

15 e libertasse aqueles que durante toda a vida estiveram escravizados pelo medo da morte.

 

“O medo da morte”

E, não é que a gente tem medo da morte?

 

Qual é o seu maior medo?

Você tem medo de ficar velho sem aposentadoria?

Você tem medo de morrer sozinho em casa?

Tem medo de ser abandonado pela sua melhor amiga?

Tem medo de ser abandonado pelo seu cônjuge?

 

** Eu me lembro na escola, passei por uma experiência marcante.

Meu melhor amigo me abandonou, virou contra mim e começou a contar mentiras sobre eu e uma menina. Eu me senti tão só, tão abandonado. Foi algo que nunca vou esquecer.

 

O maior medo que nós temos é da separação, não é?

Ø      Ser abandonado pelos amigos

Ø      Ser traído pelo cônjuge

Ø      Ficar pobre e não ter parentes para nos abrigar

 

Qual é seu maior medo?

Eu creio que para todos nós é o medo da morte.

 

Mas, Jesus venceu a morte.

E, ele promete ressuscitar todos nós que cremos nele.

 

João 6:37-40, 44-45

 37 Todo aquele que o Pai me dá, esse virá a mim; e o que vem a mim, de modo nenhum o lançarei fora. 

38 Porque eu desci do céu, não para fazer a minha própria vontade, e sim a vontade daquele que me enviou.

 39 E a vontade de quem me enviou é esta: que nenhum eu perca de todos os que me deu; pelo contrário, eu o ressuscitarei no último dia. 

40 De fato, a vontade de meu Pai é que todo homem que vir o Filho e nele crer tenha a vida eterna; e eu o ressuscitarei no último dia. 

v. 44 Ninguém pode vir a mim se o Pai, que me enviou, não o trouxer; e eu o ressuscitarei no último dia.  45 Está escrito nos profetas: E serão todos ensinados por Deus. Portanto, todo aquele que da parte do Pai tem ouvido e aprendido, esse vem a mim.

 

Três vezes em seguida, Jesus nos promete “Eu ressuscitarei você.”

 

** Às vezes quando passo em frente a uma casa funerária, eu penso, será que um daqueles caixões é meu? Quando passo perto de um cemitério, penso, será que eu vou ser enterrado ali?

 

Você já pensou na sua morte?

Você tem medo da morte?

 

Uma das razões porque nos dá medo é porque é final.

Não tem volta.

Não é como quem vai viajar.

 

Quando alguém vai para São Paulo ou Rio ou para os Estados Unidos para buscar emprego, você sente aquela dor.

Você pensa, pode ser que nunca mais vou vê-lo.

 

Mas, a morte, você tem certeza, nunca mais vai ver aquela pessoa aqui.

A morte é tão final, tão forte.

 

Quando você pensa em seu túmulo, com toda sua finalidade, com todo seu poder, com toda sua humilhação - lembre-se uma coisa

Um dia seu túmulo também estará vazio, graças a Jesus.

 

E qual é o poder pelo qual Jesus fará isso?

O que é que dá a Jesus a força para vencer a morte?

Por que ele faria isso para mim?

Ou para você?

 

Porque ele nos ama.

 

Coroas sempre foram um sinal de autoridade e realeza. O Rei Charles tinha uma coroa de oito lados.

 

Cada um dos oito lados era uma plaqueta de ouro. Cada plaqueta era revestida de esmeraldas e pérolas.

 

Ricardo Coração de Leão, Rei da Inglaterra tinha uma coroa tão pesada que precisava de dois homens para segurar na sua cabeça.

 

A rainha Elizabete tem uma coroa que vale $20 milhões.

 

Mas, junte todas estas coroas e elas não valem um tostão em comparação às coroas que Cristo tem.

 

Apocalipse 19:12 diz que Jesus tem "muitas coroas". Ele tem a coroa da justiça. Ele possui a coroa da glória. Ele tem a coroa da vida. Jesus tem a coroa de paz e de poder.

 

Mas, de todas as coroas que Jesus possui, uma é a mais querida de todas.

 

Esta coroa não foi fabricada de ouro nem prata.

Ela não é coberta de jóias.

Esta coroa não foi formada pelas mãos de um mestre artesão.

 

Esta coroa foi formada depressa, pelas mãos rudes de um soldado Romano.

 

Esta coroa não foi colocada na cabeça de Jesus numa cerimônia de glória e honra.

Ela foi colocada em Jesus num ato de humilhação.

É uma coroa de espinhos.

           

O impressionante sobre esta coroa, a coroa que Jesus escolheu para ele, é que, de todas as coroas que ele poderia ter escolhido, esta não pertencia a Jesus.

 

Esta coroa era sua.

Você merecia usar esta coroa.

Você merecia sentir os espinhos.

Você merecia sentir o sangue descendo pelos seus olhos e ouvidos.

 

Você merecia toda a dor.

Mas, a você, e a mim, Jesus oferece a coroa da vida.

 

Ele tomou a nossa coroa e nos oferece até hoje a coroa que era dEle - a coroa da Vida eterna.

 

Por causa do poder do amor dele.

O poder que venceu a morte.

O poder da ressurreição de Jesus - a amor dele por nós.

 

 

©2005 Dennis Downing. Todos os direitos reservados. Este material é de uso gratuito para fins pessoais ou de uso em igreja de forma não comercial desde que incluída a referencia aos direitos autorais. Para reprodução ou distribuição em sites na Internet é necessário a inclusão da referencia aos direitos autorais e um link para o site http://www.hermeneutica.com.br A venda ou uso comercial deste material só é permitida com autorização expressa por escrito.