100% Puro: A Tentação e a Graça de Deus

de Dennis Downing

No estudo anterior vimos que há várias maneiras em que nosso inimigo nos tenta. Com tantas tentações e com nossas fraquezas naturais não é de admirar que caímos tanto em pecado.

Às vezes quando caímos em pecado logo nos levantamos e começamos a seguir Jesus de novo. Mas, com o passar do tempo, começamos a ficar desanimados. Questionamos se de fato houve uma conversão nas nossas vidas. Podemos até duvidar da nossa salvação.

Lentamente começamos a nos afastar de outros Cristãos. Começamos a faltar as reuniões e atividades da Igreja. Nos sentimos com vergonha. Sentimos constrangidos até em orar. É como se Deus nem estivesse ouvindo mais. Já vi irmãos, aos poucos, se afastando de Jesus até desistirem da fé.

Esta história já se repetiu na vida de tantos jovens e adultos Cristãos desde o começo do mundo. Mas, é tudo baseado numa mentira do inimigo. Ele coloca na sua cabeça ou na minha que não há mais esperança. Ele nos convence que Deus não vai nos perdoar mais. Mas, tudo aquilo é uma mentira.

A vida Cristã é uma vida longa e de muito esforço. A batalha pela sua alma é uma luta que Jesus travou no dia em que veio à terra e continuará a lutar até o dia do julgamento. Jesus nunca desistiu e nunca desistirá de lutar pela sua salvação. Temos que entender uma coisa - o preço do resgate já foi pago.

Hebreus 10:14 “Porque, com uma única oferta, aperfeiçoou para sempre quantos estão sendo santificados.”

Tem outro sacrifício a ser oferecido? Você vai fazer algo para ganhar, merecer, justificar ou alcançar o perdão de Deus? Não há mais nada a fazer, a não ser aceitar o que Deus nos deu em Cristo Jesus.

Nós caímos. Nós pecamos. Ficamos tristes e frustrados com nosso pecados porque sabemos que é uma reação ingrata pelo dom da salvação de Jesus. Mas, a solução não é ficar no chão.

Qual a diferença entre o justo e o perverso? O justo se levanta.

Prov 24:16 “ porque sete vezes cairá o justo e se levantará; mas os perversos são derrubados pela calamidade.” Os “sete vezes” na verdade é uma figura que significa “muitas vezes”. O justo cai muitas vezes, mas se levanta. A única diferença entre ele e o perdido é que ele se levanta de novo.

Será que há um limite para o perdão?

Às vezes ficamos com a impressão de que a Bíblia ensina que há um limite para o perdão de Deus. Quando era jovem eu lia passagens como Hebreus 10:26 e 2 Pedro 2:20-22 e comecei a pensar que quem voltasse a pecar depois de se tornar Cristão era condenado.

Heb 10:26 “Porque, se vivermos deliberadamente em pecado, depois de termos recebido o pleno conhecimento da verdade, já não resta sacrifício pelos pecados;”

2 Pedro 2:20-22 “Portanto, se, depois de terem escapado das contaminações do mundo mediante o conhecimento do Senhor e Salvador Jesus Cristo, se deixam enredar de novo e são vencidos, tornou-se o seu último estado pior que o primeiro. 21 Pois melhor lhes fora nunca tivessem conhecido o caminho da justiça do que, após conhecê-lo, volverem para trás, apartando-se do santo mandamento que lhes fora dado. 22 Com eles aconteceu o que diz certo adágio verdadeiro: O cão voltou ao seu próprio vômito; e: A porca lavada voltou a revolver-se no lamaçal.”

Deus pode me perdoar de novo?

Depois de me entregar a Jesus eu voltei a velhos hábitos e pecados. Eu caí várias vezes nas mesmas tentações. Depois de algum tempo eu comecei a pensar que estas passagens estavam falando sobre pessoas como eu. Afinal, eu não estava pecando deliberadamente? Eu não estava me deixando ser enredado de novo? Eu não estava sendo vencido pela tentação de novo, e tantas outras vezes? Eu não estava voltando para trás?

O que eu não entendi era que estas passagens não foram escritas sobre pessoas caindo em pecados como impureza, cobiça, e a imoralidade. Estas passagens estavam falando sobre o pecado mais grave que existe - o pecado de olhar para Jesus, saber que Ele é o Filho de Deus, e seu Salvador, e, mesmo assim, rejeitar Ele. O pecado destas pessoas era o de rejeitar o próprio Jesus, mesmo sabendo quem Ele é.

Continuamos a pecar mesmo depois da nossa conversão

Muitos, quando se convertem para Cristo, não entendem a possibilidade de pecar depois de se converter. Somos chamados a nos arrepender dos nossos pecados. Arrependimento significa mudança, tanto de atitude como de comportamento. Por isso, vários novos convertidos pensam que não é permitido um único pecado após se converter, ou, se pecar mais de algumas vezes, a pessoa já não será perdoada mais por Deus.

O fato é que o Cristão continua a ser um pecador, mas ele é um pecador que tem perdão pelos seus pecados. Ele deve se esforçar o máximo para não cair mais no pecado, mas o fato é que ele vai cair. Ele precisa entender a graça de Deus e o processo de transformação pelo qual ele vai melhorando e deixando suas fraquezas para trás.

O apóstolo João afirma que continuamos a pecar depois da nossa conversão quando ele diz: “Se dissermos que não temos pecado nenhum, a nós mesmos nos enganamos, e a verdade não está em nós.” Mas, também João afirma “Se, porém, andarmos na luz, como ele está na luz, mantemos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus, seu Filho, nos purifica de todo pecado.” (1 João 1:8,7)

Que notícia boa! Jesus deixou os apóstolos e seus primeiros seguidores tranqüilos sobre algo muito importante - seu perdão não tem limites. Jesus já sabe que todos nós vamos cair e cair muitas vezes. Isso não é motivo de relaxar e nos entregar ao pecado. Mas, é motivo para ficar mais grato ainda, porque o pagamento por todos nosso erros e falhas e pecados antes e depois da nossa conversão já foi pago. Isso foi pago de uma só vez por Jesus na cruz.

Conversão é um evento

Um dos problemas que enfrentamos para entender isso é porque a nossa conversão acontece de uma só vez. Seu resultado é imediato. Em Jerusalém, no dia de Pentecostes, Pedro exortou os homens a se converterem a Jesus. Os resultados não iam demorar, mas iam sair na mesma hora.

Atos 2:38 “Respondeu-lhes Pedro: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo para remissão dos vossos pecados, e recebereis o dom do Espírito Santo.”

Os resultados da conversão foram imediatos. Eles receberam naquela hora o perdão de seus pecados e o dom do Espírito Santo.

Quando Jesus chamou os discípulos eles deixaram sua redes imediatamente (Marcos 1:17-18). A decisão de mudança e de arrependimento devem ser tomados logo. E, uma vez tomadas, haverão conseqüências imediatas.

Transformação é um processo

Mas, a vida Cristã não é só conversão. A vida Cristã é também transformação. A transformação, a mudança de velhos hábitos e atitudes, é o que leva tempo. É por isso que às vezes caímos várias vezes no mesmo pecado, embora já nos convertemos para Cristo.

  • Deixamos coisas para seguir Jesus imediatamente.
  •  Tomamos a decisão de seguir Jesus de uma só vez.
  •  Somos salvos de uma só vez
  •  Mas, somos transformados aos poucos

Paulo disse “somos transformados de glória em glória” (2 Cor 3:18 ). A transformação é um processo. É demorado. Pode levar anos, ou até uma vida. (veja também 2 Cor 4:16-18, Fil 3:12-15)

A diferença entre a conversão e a transformação

Podemos ver a diferença entre a conversão e a transformação na vida dos primeiros discípulos. Em Luc 9:46-47 começou uma discussão entre os discípulos sobre quem era maior. Eles já são discípulos? Sim Eles ainda tem fraquezas? Sim Mais adiante em Luc 22:13-14; 22-24, na noite em que Jesus foi traído os discípulos começam outra discussão. Qual o ponto? Quem era maior no Reino. Eles estão com Jesus há quanto tempo? Três anos. Eles já se converteram? Sim Eles ainda tem fraquezas e caem em pecado? Sim!

Poderíamos olhar outros exemplos, como de Pedro, que apesar de já ser um apóstolo e coluna da Igreja, caiu num erro grave ao se afastar dos Cristãos gentios na Galácia (veja Gálatas 2:11-13). Paulo disse que Pedro ficou “repreensível”, ou seja, condenado. Ele pecou!

O discípulo pode pecar depois da sua conversão? Com certeza. Até apóstolos pecaram e pecaram feio. Mas, bastava eles reconhecerem seu erro e se arrependerem que Jesus os perdoou.

Quantas vezes Jesus perdoa?

- Quantas vezes Jesus disse que Pedro deveria perdoar quem pecasse contra ele? Jesus respondeu que Pedro deveria perdoar seu irmão “até setenta vezes sete.” (Mat 18:21-22). Na prática o que isso significa é que não há limite para o perdão.

Quem tem maior misericórdia, Deus, ou os homens? Jesus mandaria Pedro perdoar tantas vezes se Ele não perdoaria também?

Quantas vezes Jesus perdoa? - Quantas vezes você se arrepender.

Tem algum número mágico, 10 vezes, 50 vezes, 100 vezes caindo no mesmo pecado que Jesus não perdoa mais? Não há limite.

Quem determina quantas vezes Jesus perdoa? Você.

Porque quantas vezes você se arrepender, quantas vezes você se levantar, Jesus lhe perdoa.

Como se levantar

Como nós podemos nos levantar?

De onde vem a força? A força vem de Jesus.

Isso não nos dá motivos para conhecer melhor este maravilhoso Salvador? Pois, é isso mesmo que Deus quer. Porque quanto melhor O conhecemos, melhor Ele pode nos ajudar. Quanto mais próximo ficamos a Jesus mais ainda teremos sua força para nos levantar de novo e continuar caminhando para Ele. Graças à graça de Deus. E, graças a Jesus Cristo, nosso misericordioso Salvador. Que Deus lhe dê forças para sempre se levantar, cada vez que cair. Creia nEle, confie nEle e saiba que a força para se levantar também vem dEle. Por que? Porque Ele lhe ama tanto. Que Deus lhe ajude a conhecer cada vez mais esse grande amor de Jesus.

Prov 24:16 “ porque sete vezes cairá o justo e se levantará”


Veja Parte 3 "Vivendo Com Poder". e Parte 1 Vitória Sobre Tentação  onde vimos como como resistir as ciladas do inimgo.

Copyright © 2007 Dennis Downing e www.hermeneutica.com. Todos os direitos reservados. A venda, reprodução, ou vinculação deste material de qualquer forma comercial é proibida sem a autorização por escrito do detentor dos direitos autorais.

18/01/07